You are here
Home > 2018 > Abril

O maestro deste Carnaval chamado vida

Por Vinícius Lacerda* Editoria Thiago Pereira Particularmente, acho que não há vida sem música. E, obviamente, sem vida, a música não existe. Pode-se inferir, ao pensar nessas frases, que a música influencia muito na vida das pessoas (principalmente, se pensarmos em vida no sentido cotidiano). Eu, por exemplo, só ando de bicicleta

Mais uma personagem da gestão cultural da nossa cidade

Por Ines Rabelo Editoria Solanda Steckelberg Trabalhar com gestão de espaços culturais foi mais uma consequência  da minha trajetória do que uma escolha. Minha formação em artes plásticas começou por volta dos 13 anos, no curso livre da escola Guignard e continuou na UFMG, onde me graduei em artes plásticas, mais especificamente

Caçando Capivara

Por Wellington Cançado Praticamente tudo que as sociedades modernas, extensivamente urbanas, constroem, produzem e consomem vem do solo. Minerais, petróleo, madeira e água viabilizam a complexa tectônica do mundo ocidental – ferramentas, objetos, máquinas, veículos, edifícios e cidades são feitos de metais, plásticos, betume, compensados e outros sintéticos. Para que esta simples

O paradoxo das certezas provisórias

Por Ione de Medeiros Editoria Elisa Belém          O texto da diretora de teatro Ione de Medeiros, à frente do Grupo Oficcina Multimédia, abre a sessão de Artes Cênicas do ano de 2018, do LETRAS. O GOM comemorou 40 anos de existência no ano passado e Ione completa agora 35 anos de direção. Para

Depois dos 60, a voz lírica de Líria Porto

Por Ana Elisa Ribeiro “Que mulher é esta? Eu não conhecia, mas já me apaixonei!” – Foram essas as palavras de uma leitora, ao conhecer a poesia de Líria Porto, em um dos livros gratuitos da coleção Leve um Livro, que editei por três anos, com o poeta e parceiro Bruno

Em busca de um “modo de usar” – Editorial Letras 56

Por Carla Luisa Marin Seria possível estruturar a vida a partir de um apanhado de regras? O que rege percepções, escolhas, gostos, desgostos? Para iniciar mais um ano de Letras, propusemos aos nossos editores e colaboradores desta edição a saborosa discussão que ganhou corpo, por assim dizer, enciclopédico, na obra de Georges Perec nos idos

Top